Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro 4, 2004
A Luxúria

Nós amamos a carne das palavras
sua humana e pastosa consistęncia
seu prepúcio sonoro sua erecta presença.
Com elas violentamos
o cerne do silęncio.


Ary dos Santos in As sete virtudes filosofais ou A alquimia dos poetas
Nada... ou năo?

Nada. Năo quero nada.
E ao mesmo tempo tudo...
Julgo que choro o que năo sou. Perdi-me nas memórias do que nunca serei, do que já năo quero ser... do impossível.
Hoje, o "năo" é a minha palavra de eleiçăo.
É o que sinto. É mais do que a negaçăo. Mais do que o símbolo n.
É um NĂO. E é meu. É sentido. É vivido.
É a perda do que nunca há-de chegar...
Sou eu... Năo...